quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Pausa para a crónica - Tempo de fazer promessas

Chega um tempo em que é preciso prometer, é urgente fazer promessas, dessas que possamos cumprir. É urgente pôr amor, alma e coração nas coisas. 

Entregar tudo, viver tudo..

Tenho urgência em prometer…

Prometo procurar-te, prometo dar-te a mão e levar-te para algum lado onde possamos recuperar a pele ferida dos dias menos bons.

Prometo respeitar-me, respeitar-te. E dizer-te verdades com os olhos.

Prometo que não me vou perder, desiludir-te e falhar as nossas conversas, os nossos pactos.

Prometo que não vou seguir o caminho que eles querem. Eles não vão roubar a minha humildade, ninguém me rouba, amor.

Prometo que vou manter a minha vida na tua.

Prometo que vou ser teimosa e teimar que o amor vence. O nosso amor desinteressado. Vence. Amor sem medo, um amor que não vem apenas da solidão, que não vem da fraqueza, amor simples.

Descontrolado, secreto e só nosso. Prometo..