sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Pausa para a poesia - Vens ou ficas?

No vai e vem, rápido que a vida tem,
Saímos, entramos e erramos
Queremos impossíveis que julgamos ser o ideal
Amamos? Ou achamos?
No tempo que passa sempre rápido demais
Apontamos o dedo, empinamos o nosso nariz
Eu? Sou melhor que tu…
Serás?
Tu que vives de aparências, sentenças e afectos controlados?
Tu que amarras esses laços apertados..
Tu que moras ao lado da controvérsia e torces-te com as dores da cobiça?
Em que serás superior, ser altíssimo e supremo?
No tempo que já passou,
Vivo em paz porque a liberdade deu-me a mão
A vida selvagem e despropositada faz-me feliz pela desigualdade
Eu não preciso ser enorme, e tu?
Vens ou ficas?
Deixa-os estar.. vamos ver vida acontecer…
Deixar fora toda essa futilidade.
Ou então não, deixa passar o tempo, as horas, deixa passar a vida
Não faças nada, porque o nada é seguro?

Vens ou ficas?