sexta-feira, 25 de abril de 2014

Pausa para a poesia - Amor de Faz de Conta

Faz de conta que moras na minha alma, e que sabes de cor as minhas manias.

Faz de conta que me dás colo nos dias da minha nostalgia e que um dia agarras-te o meu sonho só por ser meu.

Faz de conta que és a essência que preenche os meus vazios e que tomas conta de mim, nos dias frios.

Faz de conta que sabes ler os meus olhos e inventa esse abraço que nunca me deste.

Faz de conta que sou a tua motivação, e que ontem era tua, aquela rosa no portão.

Inventa uma hora para nós, Inventa uma vida que possa ser a nossa

Inventa-nos, escreve de novo o capítulo em largas-te a minha mão

Faz de conta que aquela é a nossa música e que o beijo é a nossa jura eterna

Faz de conta que nascemos de novo e nos esperamos, metade da vida

Faz de conta que esses erros não são nossos e não devemos nada a ninguém

Faz de conta que hoje paraste para me amar e que o mundo lá fora parou também


Inventa o nosso amor… e se nada resultar, faz de conta.