sábado, 26 de abril de 2014

Pausa para a poesia - Lição

Esperei-te e tu nem deste conta

Amei-te na ausência como quem ama ninguém

Esperei-te até ao fim da noite, como quem espera alguém

Mas de nada me serviu, e eu que estava mais que pronta,

Sonhei-te como quem sonha meias promessas

Imaginei-te no meu abraço demorado

Sonhei-te como que parte sem pressas

E nunca desisti do nosso olhar perdoado

Tu nunca chegas-te, nunca me encontras-te,

Esperei-te até a ultima vela apagar

E tentei esquecer o beijo que nesse dia, não me roubas-te

Amei-te como quem ama até não aguentar

Esperei-te a ultima vez, na falhada esperança

Sonhei-te, imaginei-te, amei-te

Como quem sabe que não se vive só da lembrança

Perdoei-te? Que tenho eu para perdoar?

Esperei-te até a última linha, com a mesma emoção

Mas não se espera quem nunca aprendeu a amar..


Não se espera quem não ouve a mesma canção.