segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Pausa para a Crónica - Adeus ao nosso amor que foi para sempre


E sei amor, que prometi ficar contigo.

Sei que lutei por ti, mais do que é permitido. Sei dos planos que fizemos, todos os risos na casa cheia de nós.

Lembro-me das nossas diferenças, das discussões que tivemos. Como se isso, ainda tornasse o sentimento, mais vivo.

Lembro-me de cada traço dos teus olhos iluminados, nas noites que eram só nossas. Do vinho que entornamos no chão da sala.

Do amor que fizemos.

Lembro-me da necessidade constante um do outro. E de sempre, que me sentia só, pensar que a tua mão segurava na minha.

Eu nunca te vou esquecer. Tu e eu, fomos épicos.

Sempre acreditaste na efemeridade das coisas.Sem eu dar conta e sem tu dares por isso, nós chegamos ao fim.

Não deixei de te amar, mas deixei de te querer a ti.

Ninguém é de ninguém e não se ama apenas uma vez, tinhas razão. Tu que sempre desencorajaste as minhas fantasias do “era uma vez”.

Estou hoje aqui, para te dizer, que tinhas razão.

Quando a coração muda o rumo, não há nada que possamos fazer, a não ser, guardar e seguir.

Guardar-te meu amor. Seguir como quem segue sempre, para sentir.
Adeus ao nosso amor que foi para sempre.