quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Pausa para divulgar outros - Clarissa Corrêa

Meu Deus, como esta mulher escreve. Apaixonei-me pela escrita dela <3
 
 
"A outra
 
"De hoje em diante vou modificar o meu modo de vida, naquele instante em que você partiu destruiu nosso amor, agora não vou mais chorar, cansei de esperar, de esperar enfim, e pra começar eu só vou gostar de quem gosta de mim."

(Roberto Carlos, o rei)


Um dia seus olhares se cruzam. Você sente uma coisa que nunca sentiu. Seu coração acelera. Seu corpo arrepia. Seu olhar ilumina. Sua boca fica seca. Sua barriga sente um frio interminável. Borboletas dançam uma dança bonita no seu estômago. O mundo de repente para por um segundo. E você pensa oi, sorte.

Um dia sua boca encontra a dele. Seu corpo encontra abrigo. Sua mão acha a metade da laranja. Seu coração estremece. Não existe língua mais macia, braços mais seguros, pescoço mais cheiroso, voz mais deliciosa. Não existe nada igual. Você se sente linda, poderosa, nas nuvens. Você se sente como n-u-n-c-a sentiu. Ele pede seu telefone, você dá. E vocês marcam mais encontros e encontros. Ele pede um beijo, você dá. Ele pede carinho, você dá. Ele pede atenção, você dá. Ele pede um sorriso, você dá. Você dá, você dá, você dá.

Um dia ele te deixa esperando feito pateta. Outro dia ele te deixa esperando feito pateta. Outro dia ele te deixa esperando feito pateta. Esses dias se repetem e você pensa cadê o começo de tudo? Cadê aquele gentil, amoroso, carinhoso, cadê aqueles olhos que me olhavam fundo? Então, ele não te deixa mais esperando e você pensa ufa, era uma fase. Até que ele volta a te deixar no pause. E você pensa tem algo errado ou é impressão minha? Você pressiona e ele diz sou casado, tenho namorada, tenho noiva, tenho uma ficante, tenho uma ex-mulher, tenho uma amante, tenho algum rolo, tenho alguma coisa. Em outras palavras: ele não é livre para você.

Um dia você descobre a causa de tantas mentiras. De ter ficado esperando tantas vezes ao lado do telefone. E você junta uma coisa na outra: claro, era por isso que de vez em quando o celular ficava desligado, era por isso que eu não tinha o telefone da casa dele, era por isso que eu não sabia onde ele trabalhava exatamente, era por isso que nos finais de semana eu ficava sozinha e infeliz.

Um dia ele te conta tudo. Que o casamento vai mal. Que a namorada não trepa mais. Que a ficante pintou o cabelo de preto e ele se amarra em uma loira igual a você. Que ele só está com ela porque as crianças são pequenas. Que ele está esperando o divórcio sair. Que ela não trabalha e não tem dinheiro. Que ela não tem onde morar. Que as coisas estão mal. Que ele está com ela por pena. Que o pai dela é o chefe dele e ele precisa desesperadamente daquele emprego.

Um dia você fica sabendo onde ele mora. O telefone da casa e do escritório. O nome da mulher e das crianças. O presente que ele ganhou de casamento. O número que ela calça. E você vê as fotos. E você descobre as coisas. E você mobiliza as amigas detetives de plantão e levanta toda a ficha da outra, que no caso, é a mulher dele.

Um dia você decide que não quer mais essa vida. Que ele não vale um centavo. Que se quisesse mesmo separar já tinha separado. Que não dá pra esperar por quem não vem. Que ele não te valoriza. Que só quer sexo. Que só quer te contar os problemas. Que te usa como fuga. Que não passa o Natal com você. Que seu ano-novo foi triste e você nunca mais quer repetir essa dose. Que ele é um cretino.

Um dia você volta atrás. Ele te convence. Chora. Te pega de jeito. E você lembra que ninguém beija como ele, ninguém abraça como ele, ninguém olha como ele, ninguém ri como ele, ninguém te come como ele, ninguém te enlouquece como ele. E você decide que ele é o homem da sua vida, afinal, se já sofreu tanto, se envolveu tanto, se ferrou tanto, meu Deus do céu, tem uma coisa muito boa guardada pra mim. Ninguém sofre tanto assim sem recompensa. Se vocês já passaram por tanta coisa juntos é porque o final vai ser feliz.

Um dia você reflete e analisa toda a história. Ninguém entra na vida do outro por acaso. Tudo tem motivo, a gente aprende com cada acontecimento. E você acredita de verdade que ele é o seu amor. E que ele um dia vai ser só seu. E que os finais de semana nunca mais serão solitários. E que seu amor não vai se resumir a duas ou três horas duas ou três vezes por semana. Que sua vida amorosa não vai se resumir a estar falando no telefone com ele e de repente ouvir um tu-tu-tu. Ele não vai mais precisar se esconder pra falar com você. Vocês vão poder sair de mãos dadas no meio da rua. Vão poder se abraçar. Ter filhos. Casar. Você vai poder viver esse amor com todas as forças. Você, que sonha com isso diariamente, vai poder ter uma casa com ele. Você sente lá no fundo do seu peito que ele é, mesmo, o homem certo.

Um dia você cansa das mentiras. E decide terminar de novo. E o tempo passa. Você bebe, fala mal do amor, se entope de carboidrato e chocolate, atormenta amigos gays dizendo que na próxima vida vai ser lésbica. E chora e decide ligar de um número desconhecido só pra ouvir a voz dele bem rapidinho, pois bateu saudade. E ouve e se derrete. E decide só passar bem rapidinho pela frente da casa dele pra ver se, por acaso, algo acontece. E bem na hora você vê ele saindo de casa bem abraçado com a mulher e de mãozinha dada com o filhote mais velho. E seu mundo se rasga. E você decide que é uma boa hora pra morrer. Mas como você ama ele, perdoa. Volta atrás, apaga com uma borracha os momentos ruins, conversa com ele e os dois decidem começar do zero. Novas promessas, novos horizontes, novos planos. E você acredita e fica nesse círculo vicioso. Até que.

Um dia o tempo passa. E você se dá conta de que nunca vai ter de volta o tempo que perdeu com essa pessoa que, no fundo, nunca te quis. "
 
 
<3 amo !