segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Pausa para a crónica - Os Putos de hoje em dia






Aproveitando um vídeo, do youtuber Saken, venho dar a minha opinião sobre este assunto.

Não sou tao radical como o amigo aqui, se bem que ele da sua maneira trágica e humorística e às vezes machista tem a sua razão. Não sei se ele se preocupa ou não com o assunto, ou quer também ele, ter uns likes :P mas o assunto é interessante.

No outro dia estava a tentar dar na cabeça a uma miúda de 15 ou 16 anos e ela virou-se para mim e disse “tu também eras fresca”, fiquei lixada!

Nunca fui santa nenhuma, sempre gostei de ter os meus namoros, os meus engates e fiz trinta por uma linha. Mas calma! A pouca vergonha de hoje em dia está muito à frente do meu tempo e é preocupante.

Nós namorávamos por carta, nós pedíamos em namoro por carta deixadas nos cacifos. Muitos de nós não tinham telemóvel, nem computador. Não havia mensagens à borla.

Também não havia sexo, por estranho que pareça! Eu nem sei bem quando é que os miúdos de hoje em dia iniciam a sua vida sexual, mas calculo que deve ser muito cedo! Entre nós não havia, a sério. Havia casais que namoravam desde os 12 até aos 17 e eram virgens, porque era assim e nem sequer se contestava.

E atenção, eu não tenho propriamente 50 anos e isto era assim, á pouco tempo! Claro havia excepções! Mas hoje as coisas ultrapassam um pouco os limites, e infelizmente apesar de eu ser uma eterna defensora das mulheres, tenho que admitir, que a principal mudança é no sexo feminino.

A mulher tanto se quer emancipar, que acaba por fazer da forma errada. Quero deixar claro, que não sou nenhuma puritana, e que uma mulher adulta faz com o seu corpo e a sua vida é problema dela. Mas o que uma adolescente faz não, é problema nosso, de uma sociedade inteira.

Está na forma, no propósito, na maneira como não deixando de ser uma criança, uma pita como o Saken diz, se quer fazer mulher, sem a mínima maturidade e construção para isso.

E quem diz a forma com se dão a conhecer aos outros, a iniciação precoce da vida sexual, a forma com se vestem, diz e fala de uma juventude entregue ao álcool, às drogas, e à vida fácil. Esta última parte sempre houve, mas não deixa de ser alarmante.

Em boa parte, a culpa é dos pais. Se bem que eu acho que das tarefas mais difíceis da vida do ser humano, é educar e cuidar de um filho. Se damos muito estragamos com mimos, se damos pouco crescem revoltados.

Não sou adepta da violência, mas uma chapada às vezes, também abre os olhos! E sim eu levei uma ou duas e não me fez mal nenhum!

As miúdas, que mais tarde serão mulheres precisam realmente de se tratar com mais respeito, para que os miúdos, homens do futuro, saibam e respeitem a mulher, como ser único e de raras capacidades.

Voltarei a falar nisto.. isto dá pano para mangas !!!