domingo, 23 de fevereiro de 2014

Pausa para a Fotografia - Metade de mim é utopia

Há uma metade em mim, que é estranha, desatinada. Metade de mim gosta do silêncio, do pedaço negro do mar, do trovão barulhento, metade de mim adora dizer adeus, metade de mim só gosta de ruas perdidas.

Metade de mim é pessoa a outra metade não é, metade de mim gosta da catástrofe interior, das feridas que doem por dentro, metade de mim adora a solidão.

Metade de mim pede um grito, uma oportunidade sombria, um raio de luz fraco. Metade de mim andou na guerra..

Metade de mim não desiste, metade de mim acredita no que sou, metade de mim nunca acorda das histórias encantadas, mal contadas. Metade do que sou é vento.

Metade de mim é vestido rasgado, é passado. Metade do que sou é iluminado através de velas, metade de mim é bússola perdida. Metade de mim..não se vê.

Metade de mim é só utopia…