segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Pausa para a crónica - A vida é um momento

No Inverno, fim-de-semana em Lisboa, representa muitas vezes, tardes de cinema. Aproveito para dizer que o meu género de filme preferido é o drama. Claro! Que mais poderia ser.

Mas não é para falar de mim, que aqui estou. Achei que desta vez, devia ver filmes com uma mensagem positiva. Tal como a música, os filmes são boas inspirações.

Escolhi dois filmes, que transmitem uma boa mensagem, que nos falam que a vida são dois dias e que não temos tempo a perder com pessoas más, atitudes negativas, amizades falsas e angústias pequenas. A vida é um momento!

Um momento onde ninguém pode dizer que está bem, porque as coisas mudam a uma velocidade estonteante, a vida é um momento único que passa rápido.

Foi esta a sensação que fiquei após ver os filmes de que falo, quero muito parar de perder tempo com pequenas coisas, pessoas pequenas e tristezas pequenas.

Tal como nos filmes, haverá sempre pessoas a achar que são o centro do mundo, haverá sempre pessoas a achar que são especiais ao ponto de alguém lhes crer fazer frente ou ultrapassar, haverá sempre pessoas a achar que sabem tudo e que aquilo que outros acham não tem a mínima importância, haverá sempre alguém a menosprezar o nosso valor, a querer segundas oportunidades e a tentar colocar-nos no fundo.

Haverá sempre situações de perda, de frustração e de confusão. Haverá tristeza e solidão. Vão existir momentos em que perdemos o chão, o mundo deixou de nos dar importância e aquela pessoa que nós mais queríamos desapareceu da nossa vida.

Mas mesmo assim vale tanto a pena cá andar! Mesmo não tendo tudo o que quero, eu não invejo ninguém. Porque eu estou exactamente onde planei estar, e se eu fosse outra pessoa e tivesse outra vida, eu não via, sentia e escrevia o que vejo, sinto e escrevo.

Engane-se quem pense e se ache muito em cima, porque a vida vira-te em segundos, perdes tudo e pior que isso estás sozinho, porque ninguém aguenta esse ar de superioridade muito tempo.

O segredo é dar, dar de o melhor de nós! E vai haver sempre quem se aproveite disso, quem não dê valor a isso, quem ache que está acima disso. Temos pena! Eu fiz sempre o que podia, se não fiz mais, é porque eu própria não conseguia.

As pessoas têm que aprender a ler-se no olhar, um olhar triste, nervoso ou de raiva não significa que deixamos de gostar de um amigo, significa que precisamos dele mais do que nunca. São poucos os que vão entender isso, na realidade são poucos os que te vão dizer que entendem a tua loucura, mas esses são os reais.

Um amor é aquilo que é, quase sempre tão fugaz e passageiro. Às vezes nós não gostamos mais das pessoas, que estão ao nosso lado, gostamos apenas da ideia de gostar dela e principalmente da ideia de que ela goste de nós. Porque é a rejeição que doí, o amor-próprio ferido e quando é assim já não é amor. Porque amor é sentir falta, sem pensar no eu egoísta que mora dentro de nós.

Deixar tudo por um amor, é loucura! Uma loucura boa! Deixar de ver tudo o que está á nossa volta, por causa do amor é insanidade.

Assim sendo recomendo “O lado bom da vida” ou “Silver Linings Playbook”, filme badalado principalmente pela participação da actriz Jennifer Lawrence, que acabou por vencer o Óscar de Melhor actriz em 2013. Conta a história de um homem que perde o trabalho, a mulher e enlouquece, sendo internado 8 meses, numa clínica de reabilitação mental. Volta decidido a recuperar tudo o que perdeu, acabando por entender que não tinha perdido assim tanto. Eu tenho uma dose de loucura gigante, logo amei o filme.



“Questão de Tempo” ou “About Time” com a minha querida, Rachel Mcadams, é um filme leve, mas com uma mensagem especial, na minha opinião. Aborda as escolhas que fazemos na vida, as vezes que desejamos uma segunda oportunidade ou terceira para fazer tudo diferente. No filme o actor principal tem esse poder, andar para trás no tempo, na vida real, nem sempre existem segundas oportunidades. Não acho que seja uma comédia romântica igual a tantas outras, tem qualquer coisa! Além disso tem Londres como cenário! Amo!


Deste ultimo, marca também pela positiva a banda sonora, em particular esta música, tão animadora, Of Monsters and Men -  Little Talks.