domingo, 23 de fevereiro de 2014

Pausa para o lugar - Miradouros de Lisboa – Jardim do Torel

Finalmente o sol deu a cara, hoje teve bom para passear. Resolvi ir tomar café ao Miradouro do Torel.



Fiquei a perceber, porque é que duas pessoas diferentes, já me tinham dito: “Tu vives à três anos, ao pé dum sítio tão bonito e não conheces?”, elas tinham razão.






Sabem, é isto que eu chamo qualidade de vida, e melhor que isso custou-me 1 euro para o café e 10 minutos a pé.


O Miradouro do Torel, é um sítio pacífico, bom para pensar, escrever e conversar. Às vezes não é fácil encontrar silêncio na cidade, lá ouve-se o vento, interrompido pelo passar momentâneo, dos aviões, e eu perco-me a imaginar a sua rota, o seu destino. Também eu queria ter a minha rota na mão.

Vêem-se pássaros as voar, gosto de ver os pássaros, coisas com Asas, asas foram feitas para voar.

Vê-se nuvens a passar, dizem-me um olá envergonhado, com quem está de passagem.

E agora? Vai um bocadinho de história? Tem de ser, isto não é só ir lá e achar bonito, tenho que perceber, o que foi aquele lugar antes de ser o que é hoje.



O Miradouro do Torel encontra-se na freguesia de São José, virado para a Avenida da Liberdade. Situa-se, numa das sete colinas de Lisboa, junto ao elevador da Lavra.

Está rodeado de um palacete do século XIX. O nome do miradouro tem origem numa família provavelmente holandesa, que habitou o local. 

Sabe-se que no reinado de D. João V havia em Lisboa um Marco António Thorel , casado com D. Joana Francisca da Cunha Manuel. Viviam na travessa do Convento de N. S. do Monte do Carmo e tiveram vários filhos, entre eles João Caetano Thorel da Cunha Manuel e D. Nicolau Thorel, que foi bispo de Lamego. O palacete foi vendido ao Estado, em 1927.

O local conta com um parque infantil, café/restaurante e panorâmicas fantásticas.





Vale a pena passar por lá!

Horário:

Outubro a Março: 07:00-20:00

Abril a Setembro: 07:00-22:00

Uma semana inspirada, para todos e para mim também! Bem preciso!